Parceria entre psicólogos e hipnólogos clínicos revela terapia mais eficaz

//Parceria entre psicólogos e hipnólogos clínicos revela terapia mais eficaz
transferir

A Psicologia não substitui a Hipnose Clínica e vice-versa sendo terapias que se complementam, embora a prática do trabalho em parceria, ainda seja pouco utilizada em Portugal. Psicólogos e hipnólogos de mãos dadas consideram que a terapia se revela menos morosa e com resultados mais duradouros, sobretudo no tratamento de depressão, fobias, síndrome de abandono, hiperactividade, dependências químicas, entre outras patologias.

Lisboa, 28 de Abril 2014 – Numa dinâmica ainda pouco frequente em Portugal, são cada vez mais os psicólogos e hipnólogos que trabalham em parceria, embora, de acordo com Cristina Infante Borges, hipnóloga clínica “sejam ainda muitos os psicólogos que confundem hipnose clínica com hipnotismo, devido à descredibilização gerada por todos aqueles que divulgam a hipnose associada a outro tipo de terapias holísticas e isotéricas. Com o avanço da ciência, através da imagiologia tem sido possível demonstrar cientificamente, a utilidade da hipnose clínica como uma especialidade complementar.”

Ana Correia, psicóloga especializada em Psicologia Criminal e do Comportamento Desviante, explica que “o psicólogo tende a procurar a origem do problema e depois, em conjunto com o paciente, a encontrar ferramentas que lhe permitam lidar com o mesmo, sendo que estamos dependentes do ritmo de cada paciente. Nesta parceria, a função do hipnólogo passa muito por falar ao inconsciente, criar a mudança desejada, criar uma reestruturação vivencial e cognitiva que ajude o paciente, quer a nível emocional quer afectivo, para que posteriormente sejam trabalhados a nível psicoterapêutico.”

De acordo com Ana Correia, que trabalha em parceria com hipnólogos clínicos há cerca de dois anos “a parceria faz todo o sentido pois são criadas condições de acesso a informações que, por vezes, estão recalcadas e bloqueadas no inconsciente de cada paciente ou, por vezes, a informação até está consciente mas da qual apenas existe uma vaga ideia. A actuação da hipnose vai permitir um acesso mais rápido a essa informação e, consequentemente, reduzir o tempo da terapia.”

Este formato de tratamento aplica-se a todas as faixas etárias e a qualquer patologia que leva um paciente ao psicólogo.

Quando questionada sobre o custo de um tratamento neste formato, Ana Correia, explica que “O esforço económico é muito menor, pois com o recurso à hipnose é possível obter resultados mais rápidos e duradouros, do que quando se recorre só ao psicólogo, isto porque o ritmo do paciente tem de ser respeitado e, por vezes, este leva algum tempo até passar ao consciente uma série de informações que se utilizarmos a hipnose, podem tornar-se disponíveis mais rapidamente.”

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.